A história da música Tears In Heaven de Eric Clapton

“Tears in Heaven” que significa “Lágrimas no Paraíso” é uma canção de Eric Clapton juntamente com Will Jennings, a letra fala sobre a dor que Clapton sentiu após a morte de seu filho Conor de quatro anos de idade, e um possível reencontro entre pai e filho no céu. A criança caiu da janela de um apartamento localizado no 53º andar de um edifício, em Nova Iorque, onde vivia uma amiga de sua mãe. O acidente ocorreu em 20 de março de 1991.

Após isolar-se por um tempo, Clapton começou a trabalhar novamente, compondo uma música para o filme Rush. Eric Clapton compôs a canção “Tears in Heaven” para o seu filho Conor, que foi lançada no álbum UnpluggedUnplugged fez sucesso nas paradas e foi indicado a nove prêmios Grammy no ano que foi lançado. Apesar da dor intensa, Clapton fez vários anúncios de sensibilização para a colocação de proteção para crianças em janelas e escadas.

Segundo Clapton, Will Jennings, seu parceiro e coautor dessa canção, não queria ajudá-lo a compor a música por se tratar de um tema muito pessoal, mas depois acabou concordando.

A morte de seu filho trouxe um momento de muita dor e perda para Eric Clapton. A música foi uma forma de homenagear a criança e se tornou um dos maiores sucessos mundiais do artista, chegando à segunda posição da Billboard nos Estados Unidos.

Em uma entrevista com Daphne Barak, Clapton declarou “Eu quase que inconscientemente usei a música para mim mesmo como um agente de cura, e eis que, funcionou… Eu tenho muita felicidade e uma grande quantidade de cura pela música”.

Em 2004, Eric deixou de tocar essa música em seus shows. Ele disse que já não tinha mais o sofrimento e a sensação de perda que a música trazia para ele no início.
Compartilhe com seus amigos!